sábado, 1 de setembro de 2018

MÁ MENINA MÁ

Fotografia de Tatiana Gulenking



Criaturinha das trevas
desacompanhada
na escuridão celeste
criaturinha das trevas
menina fosforescente
suja

vieste do outro lado
do tempo à boleia
de um túnel de minhoca
menininha misteriosa

Aprendeste a cosmogonia
do castigo esse ritual
repetido desde a Infância
na oca protetora
ao longo das eras
vens dar-me uma lição
de genealogia

percorre-te o corpo
um unguento de amargura
a flecha enterra-se
na espádua
marca de Órion
Caim de cabeça
no copo meio vazio
um desejo de dor
como um pecado

Ó criaturinha das trevas
má menina má
eu te absorvo






Sem comentários:

Enviar um comentário