sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

crime sem perdão


Camille Claudel, The Implorer, 1899. Bronze, France, private collection.


Se
o olho cobra
o olho,
se
o dente  dobra
o dente,
quero
o amor como vigança
o amor como sentença
do crime sem perdão
agravado 
de palavra,
nome e nervo.
Gratidão.

1 comentário:

  1. Ou a doce forma de dizer "olho por olho dente por dente".

    ResponderEliminar